Papai Noel também é freela?

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on tumblr
Share on reddit
Share on telegram
Share on whatsapp

(opens in a new tab)

Personalidades e profissões freelancer que você nem sabia!

Papai Noel também é freela!

Muita gente pensa que o termo freelancer é algo que nasceu com a onda da Gig Economy, porém já falamos sobre a origem desse termo no nosso post FREELANCER – 5 Dicas.

Além dos precursores, os lanceiros livres na Idade Média, temos muitos personagens que foram – ou deveriam ser freelancer.

Eles (ou nós), estão por toda a parte. E cada vez mais movimentam a economia, mudam hábitos da sociedade e colaboram com o crescimento do PIB do país e do mundo.

Confira com a gente essas personalidades e personagens lendários:

FREELANCERS NA FICÇÃO:

  • PAPAI NOEL

Uma das características desse tipo de  trabalho é fazer você mesmo a sua rotina.

Pode-se trabalhar 24 horas por dia, ou apenas uma vez por ano. A escolha é dele (ou nossa).

Dizem que esse velhinho bondoso fabricava o ano todo seus brinquedos para depois, na noite de Natal, distribuí-los.

O fato é que ninguém nunca viu a sua fábrica, o mais provável é que ele entregue “doações” dos pais, padrinhos e madrinhas, tias e tios, avós e amigos da família.

Mas, que ele “aparece” uma vez ao ano nas casas em festas, isso todo mundo sabe.

  • A FADA AZUL da história de PINÓQUIO

Os freelancer’s, muitas vezes, trabalham em projetos, por tempo determinado.

No caso da fada azul, ela só aparecia quando o Pinóquio, o menino de madeira, se metia em enrascadas.

Às vezes, na vida real, isso também acontece: digitadores costumam ser contratados quando as empresas estão com o tempo estourado e precisam inserir informações em sistemas, por exemplo.

E você? É uma fada ou um fada ? (Esse substantivo é tanto masculino como feminino).

Deixe nos comentários qual foi a sua maior colaboração num projeto como freela?

  • INDIANA JONES, o aventureiro de aluguel

Esse herói é um professor pacato de arqueologia, mas entre uma aula e outra, pega uns jobs para salvar o mundo dos Nazistas, de demônios, e recupera o Santo Graal.

Livra-nos das maldições da rotina de um escritório.

Sua vida parece bem mais tranquila que a da maioria das pessoas que conhecemos, afinal, o que é um desmoronamento de terra, incêndios e perseguições de selvagens,  perto de um congestionamento nas marginais de São Paulo ou na linha vermelha no Rio de Janeiro?

  • O ESPELHO MÁGICO da Bruxa

Quem não se lembra da madrasta da Branca de Neve perguntando ao espelho:

Espelho, espelho meu, existe alguém mais bela do que eu?

Os consultores e coaches provavelmente poderiam responder a essa e outras perguntas daquela senhora na crise da meia idade.

Ele ficava ali, estático, parado no tempo, esperando pela necessidade da nossa anti-heroína.

Essa não é a realidade dos que trabalham por conta própria.

Sabemos que faz parte da rotina sair em busca de negócios. Porém, contratos de longo prazo para trabalhos autônomos, nunca fez mal à ninguém.

  • FRODO BAGGINS, o voluntário

O voluntariado é uma forma de exercer o trabalho autônomo, porém sem fins lucrativos.

Frodo desafia a si próprio para livrar a humanidade do anel maligno.

Smeagol: maldade da preguiça e procrastinação

A caminhada dos trabalhadores independentes é solitária e a maldade da preguiça, da procrastinação, das dúvidas e da acomodação podem nos levar à ruína, como aconteceu com Smeagol, que tanto almejava ter o anel “precioso”, e acabou arruinado pela maldade e ganância.

FREELANCER NA VIDA REAL

  • CRISTÓVÃO COLOMBO

Sim, senhoras e senhores, ele era freelancer!

Ao contrário de Pedro Álvares Cabral que era da esquadra portuguesa, o explorador genovês teve de buscar apoio, no reino Espanhol,  para uma de suas maiores empreitadas: a descoberta das Américas, em 1492.

Colombo, com apenas 52 colaboradores e uma embarcação singela, para a época, e mais duas pequenas caravelas, abriu o caminho para o seu concorrente português, que no ano de 1500, com 13 embarcações e 1500 homens descobriria o Brasil! 

Os trabalhadores autônomos são assim: precisam ser mais assertivos e fazer uma gestão excepcional de seus recursos para não morrerem na praia!

  • MARILYN MONROE

Marilyn teve de suportar muita pressão psicológica até ser reconhecida.

A maior sexy appeal da história do cinema, teve seus dias de glória e contratos milionários.

Mas foi uma precursora das divas de hoje, começou com trabalhos esporádicos e teve de suportar muita pressão psicológica até ser reconhecida como atriz de sucesso.

E a pressão continuou até o final.

A atividade autônoma continua exigindo equilíbrio emocional, até os dias de hoje

  • MATA HARI, a freela que sabia javanês

Mata Hari, ou Margaretha Geertruida Zelle, foi uma holandesa que desempenhou dois papéis como trabalhadora independente: dançarina exótica e espiã alemã na primeira Guerra Mundial.

Foi executada na França pela segunda função.

Ela teve êxito na sua vida por seus atributos positivos: criatividade e dedicação.

Porém, perdeu a vida por falta de lealdade com seus parceiros e sigilo nos trabalhos efetuados.

Até hoje a criatividade e dedicação são louvadas.

E a deslealdade e falta de discrição continua sendo mortal para as parcerias.

  • ARISTÓTELES ONASSIS, o imperador do mundo

Um dos homens mais ricos do mundo na década de 1930, iniciou sua fortuna negociando embarcações mercantes, vendidas abaixo do valor de mercado, devido a grande crise econômica mundial.

Assim como Onassis, os independentes profissionais de vendas devem ficar sempre atentos às oportunidades e ameaças do mercado.

  • Rolihlahla Madiba Mandela, o pacificador

Mais conhecido como Nelson Mandela, o advogado, lutou pelo antiapartheid  e ensinou ao mundo que trabalhar pela paz e pela justiça é ainda a forma mais nobre de ser líder de si mesmo.

Após 27 anos de prisão, dividiu o Prêmio Nobel da Paz, em 1993 como Frederik de Klerk e foi o primeiro presidente negro da África do Sul, de 1994 à 1999.

Mandela nos ensina também que seguir nossos princípios e sonhos é sempre o melhor caminho, por mais demorado que pareça.

Faltou alguém importante?

Depois dessa lista, você é capaz de lembrar outros personagens e profissões que vivem ou viveram dessa nova velha forma de prosperar?

Deixe nos comentários seus heróis da Gig Economy de todos os tempos.

E divirta seus amigos: compartilhe esse post!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *